MISTRAL & LANÇAMENTO DE TRÊS LINHAS DE VINHO, COM A PRESENÇA DE MARCIO MORENA

MISTRAL

O elegante e premiado malbec “Icône WOW 2009” da Maison de Georges Vigourox desembarca em terras brasileiras.

Fomos honrados com o convite da Mistral para participar de uma degustação muito exclusiva de lançamento de três linhas de vinho que começam a ser comercializados no Brasil nesta semana:  Le Temps de Vendange, Gouleyant; e Chatêau de Haute Serre, da Maison Georges Vigouroux.unnamed (17)

A família Vigouroux dedica-se ao vinho desde 1887, estando hoje em sua terceira geração. São considerados os maiores especialistas na casta “Malbec”, originária da charmosa cidade francesa de Cahors, situada às margens do rio Lot. Nessa região pode-se voltar fechar os olhos e voltar-se facilmente à época medieval, por meio das construções, mitos e tradições tão bem conservadas ao longo do tempo.

Nesse contexto, sua história se constrói junto da própria história do vinho, mais especialmente, do Malbec, pois são dois mil anos de tradição no cultivo dessa uva e na vinificação do vinho frequentemente citado como “o mais antigo da França” (os primeiros escritos sobre seu cultivo datam do ano de 92 d.C.).

unnamed (20)

Conta-se que Pierre Le Grand (1672-1725), czar da Rússia, usava medicinalmente o vinho de Cahors, que na época era o vinho de missa da religião ortodoxa na Rússia, e que Jacques XII, nascido na cidadezinha, em 1245, tornou-se Papa em 1314. E durante seu papado, criou o famosíssimo vinhedo de Châteauneuf du Pape, que foi considerado o maior da Europa ocidental. Já naquela época, o vinho dessa região era consumido em todas as côrtes dos reinos europeus. Em meados do século XIV, mais de 50% dos vinhos que partiam de Bordeaux eram originários dos vinhedos do Quercy, província cuja capital é Cahors.

unnamed (19)

Acompanhando essa tradição de excelência, elaborando vinhos longevos, repletos de elegância e notas cativantes de fruta madura, já final do século XIX, a Maison Georges Vigoroux era a responsável por um dos mais reverenciados  vinhos da França, comparados, inclusive, à época, ao Château Margaux e aos melhores Grands Crus da Borgonha.

Voltando à nossa degustação conduzida pelo simpaticíssimo enólogo italiano Vincenzo Protti, diretor e representante da vinícola aqui no Brasil, pudemos conhecer três vinhos de uma linha que visa a atender ao dia a dia do consumidor, intitulada Le Temps de Vendange. Nessa linha foram degustados:  o Le Temps de Vendange IGP Comté Tolosan blanc 2015, o Le Temps de Vendange IGP Comté Tolosan rosé 2015, e Le Temps de Vendange IGP Comté Tolosan rouge 2015.

Destacamos entre os três o Le Temps de Vendange IGP Comté Tolosan blanc 2015, elaborado com uma seleção de uvas perfeitamente maduras, das varietais Sauvignon Blanc (60%) e Loin de L´Oeil (40%), colhidas nas melhores parcelas desta área no sudoeste da França. Apresenta visualmente uma coloração amarelo pálida com tons esverdeados, quase translúcida, e no nariz um bouquet de frutas cítricas, destacando-se maçã verde. Em boca é fresco, com uma acidez equilibrada, e retrogosto persistente para um branco jovem. Um vinho com uma ótima relação custo-benefício!

Na sequência, foram degustados mais três vinhos que atenderiam a um nível intermediário, mas também com ótima relação custo-benefício ao consumidor final. São eles: Gouleyant Côtes de Gascogne blanc 2015, Gouleyant IGT Cotes du Lot rosé 2015, e Gouleyant Malbec 2013.

unnamed (18)

Dos três, comentaremos sobre o Gouleyant IGT Cotes du Lot rosé 2015, um rosé de Malbec diferente, de coloração rosa viva e brilhante, pendendo para o alaranjado, muito fresco, apresentando notas de frutas vermelhas, destacando-se framboesas e morangos. Em boca é persistente, levemente adstringente, com uma acidez equilibrada, confirmando-se as frutas vermelhas frescas e um certo dulçor final.

A parte final da degustação nos revelou duas grandes surpresas: o Château de Haute Serre 2009, e o Château de Haute Serre Icône WOW 2009. Destacaremos esse último monovarietal Malbec que nos surpreendeu deveras pela sua elegância. Não era para menos, pois esse vinhaço surgiu de uma parceria sui generis entre o renomado produtor Bertrand-Gabriel Vigoroux e o célebre enólogo norte-americano Paul Hobbs, um expert em Malbec argentino.

Trata-se de um vinho realmente diferente de todos os demais. Proveniente de um solo pedregoso e que privilegia rendimentos baixíssimos, esse Malbec se origina de vinhedos da década de 1970, apresentando uma complexidade de aromas que contemplam frutas negras maduras, especiarias, baunilha, cacau, e pimenta negra. Na boca é complexo, elegante, de grande estrutura, com taninos sedosos e um retrogosto muito persistente. Um vinho que realmente merece a qualificação de 91 pontos da Wine Espectator e 93 da Wine Enthusiast.

As três linhas de vinhos apresentados atendem com alta qualidade a uma demanda do mercado brasileiro. A sua primeira linha traz vinhos mais frescos e joviais a bom preço, para serem consumidos no dia a dia; a linha intermediária, vinhos igualmente agradáveis, mas que trazem mais personalidade; e a terceira linha, que poderíamos chamar de premium, traz vinhos muito mais complexos e estruturados, especialmente o Château de Haute Serre Icône WOW 2009, que é um verdadeira símbolo da elegância que um Malbec pode alcançar.

unnamed (16)

 

Um beijo e um brinde!

 

Marcio Morena

 

Marcio Morena é advogado, professor universitário e enófilo.

Sobre Luis Guilherme Zenga

View all Posts

LUIS GUILHERME ZENGA – Jornalista de formação, com 25 anos atuando na área, passou por diversas editorias desde Área Têxtil, Moda, Beleza, Comportamento, Cidades e Entretenimento. Há 15 anos escrevendo nas editorias de Gastronomia, como crítico gastronômico, Enogastronomia (Vinhos e Cervejas) e Turismo Gastronômico. Colaborador no GOOGLE MAPS, avaliando Restaurantes visitados e tendo mais de (Cinco milhões e trezentas mil visualizações comprovadas) até a data de 01/2019.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*