O VINHO COMO SINÔNIMO DE LUXO E ASCENSÃO SOCIAL NO BRASIL

O VINHO COMO SINÔNIMO DE LUXO E ASCENSÃO SOCIAL NO BRASIL

13942223_1778807635729746_1285328111_n

Por Marcio Morena

Nunca se viram tantas pessoas interessadas pelo universo do vinho no Brasil como atualmente. Parece ser que o vinho se converteu num “objeto de culto” não apenas para os homens, mas principalmente para as mulheres que, ao longo dos últimos decênios, vêm conquistando um protagonismo profissional, social e político inédito no cenário nacional.

Apesar do ainda baixo consumo se nos comparamos a outros países (uma média de aproximadamente 2 litros per capita), e com uma tradição vitivinícola ainda recente se em relação aos países europeus e mesmo a nossos vizinhos Argentina e Chile, o Brasil vem tomando consciência de que o vinho é realmente uma bebida diferenciada e que traz consigo um fator de legitimação social.

Conhecer mais sobre suas varietais, regiões produtoras e saber harmonizá-lo tornou-se conditio sine qua non para uma inserção social positiva, pois revela, quase que invariavelmente, um alto grau de cultura, refinamento e poder aquisitivo. Já no longínquo século XV François Rabelais já afirmava que “um homem nobre nunca odeia um bom vinho: é um preceito monarcal”.

13987084_1778807459063097_2136337708_o

Desde a abertura da economia na década de 90, o Brasil vem sendo alvo de marcas de luxo, caracterizando-se como o segundo melhor mercado emergente no mundo  para esse tipo de produtos, o que se explica, até certo ponto, pelo caráter hedonista do brasileiro, que valoriza sobremaneira a estética, como se verifica facilmente pela enorme quantidade de cirurgias plásticas que são realizadas a cada ano.

Nesse panorama, o vinho se insere indubitavelmente como um produto de luxo. Ao analisar-se as propagandas sobre vinho e espumantes, fica muito claro que as imagens publicitárias visam esse perfil de consumidor. Em geral trazem pessoas elegantes e vestidas à moda, sorrisos largos, um belo jardim, pratos finos à mesa e taças de cristal! Já em 1968, a vinícola Aurora veiculava um anúncio sobre seu vinho “Precioso”, fazendo sua ambientação em uma mesa com pratos de lagostas e camarões gigantes, e folhagens ao fundo. Será que da década de 70 para cá, algo mudou? Parece-nos que não…

Fatores básicos como a escolha da taça adequada, a temperatura de serviço, a variável quantidade de vinho a ser colocada na taça – caso seja um tinto ou branco -,  e a própria forma de segurá-la causam uma impressão social positiva, seja numa reunião de negócios ou num contexto romântico de conquista.

Nesse contexto, por mais que acreditemos na necessidade de democratização da cultura do vinho e lutemos para que essa bebida se torne mais acessível à mesa do brasileiro, o fato é que ainda representa luxo e glamour. O vinho possui uma “aura” elevada, como já apontava Tom Standage, em “A história do mundo em seis copos”.

De qualquer forma, nem todo luxo precisa ser caro, mas é certo que todo luxo merece ser apreciado com o respectivo protocolo. Assim é com o vinho, uma bebida indubitavelmente social, elegante e que, nos dias de hoje, pode ser encontrada no mercado a preços mais acessíveis, mas que exige do consumidor um certo preparo para ser apreciada de forma plena.

Afinal, venhamos e convenhamos que celebrar com vinhos e espumantes é muito mais chique!

Um beijo e um brinde a todos!

13940978_1778807475729762_1881080413_n

 

 

Marcio Morena

Marcio Morena é advogado, professor universitário e enófilo

Da redação

 

 

 

Sobre Luis Guilherme Zenga

View all Posts

LUIS GUILHERME ZENGA – Jornalista de formação, com 25 anos atuando na área, passou por diversas editorias desde Área Têxtil, Moda, Beleza, Comportamento, Cidades e Entretenimento. Há 15 anos escrevendo nas editorias de Gastronomia, como crítico gastronômico, Enogastronomia (Vinhos e Cervejas) e Turismo Gastronômico. Colaborador no GOOGLE MAPS, avaliando Restaurantes visitados e tendo mais de (Cinco milhões e trezentas mil visualizações comprovadas) até a data de 01/2019.

2 Comentários sobre este post

  1. Bom que gostou!

    Luis Guilherme / Responder
  2. bom que gostou!

    Luis Guilherme / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*